TURISMO | Qual o roteiro ideal para se fazer em Bonito?

Foto: Daniel de Granville/Sectur Bonito (MS)

As possibilidades de passeios incluem atividades como flutuações, mergulho, trilhas, rapel, arvorismo e cavalgadas.

Elaborar um roteiro antes de chegar a Bonito (MS) é a forma ideal para o turista conseguir aproveitar as atrações locais sem se perder em meio a tantas opções. Eleita 16 vezes como o melhor destino de ecoturismo do Brasil, a cidade é referência em gestão de atrativos naturais. As possibilidades de passeios incluem atividades como flutuações, mergulho, trilhas, rapel, arvorismo e cavalgadas.

São 38 atrações turísticas com as quais é possível montar roteiros variados, que podem ter propostas desde as mais tranquilas, como a contemplação da natureza, até as mais radicais, como os mergulhos com cilindro. As atividades são promovidas em meio a paisagens naturais, como rios, cachoeiras, lagos e lagoas. Além da flora, os turistas também podem observar e ter contato com uma fauna variada.

É possível ainda passear de bote, boia cross, quadriciclo, caiaque, fazer visitas culturais e aproveitar o dia em balneários. Vale lembrar que todas as atividades devem ser agendadas em uma agência de turismo local.

As atividades contam com números limitados de vagas e, por isso, a orientação é que o visitante faça a contratação com antecedência. O passeio ao Rio do Peixe, por exemplo, é muito procurado e conta com cachoeiras, trilhas e paisagens das mais diversas.

Como são muitas opções de atividades, uma dica para o turista é separar seis dias de viagem, sendo quatro para as programações na cidade, um para ida e outro para volta. Outra forma de se organizar é selecionar um passeio de cada categoria e fazer, no máximo, dois por dia.

1º dia: por onde começar?

Ao chegar ao município, é hora de o  turista fazer o check-in no hotel ou na pousada, deixar as malas e se ambientar na cidade. Dependendo do horário de chegada, atividades mais tranquilas podem ser alternativas para não deixar de aproveitar o local. Porém, é recomendado poupar energias para os passeios do dia seguinte, já que alguns podem ser mais proveitosos pela manhã.

Fazer caminhadas urbanas é uma opção para ter contato com a região, suas tradições, culturas e arte. Uma alternativa para o primeiro dia é encontrar lazer em opções como a flutuação no Aquário Natural de Bonito, que fica a 7 km de distância do centro da cidade, sendo a atividade do tipo mais próxima do município. A atração fica na Reserva Ecológica Baía Bonita.

2º dia: grutas pela manhã e arvorismo à tarde

Foto: Hudson Garcia/Sectur Bonito (MS)

A partir do segundo dia, devidamente descansados, os turistas podem conhecer algumas das grutas de Bonito pela manhã. São três cavernas abertas à visitação: a Gruta do Lago Azul, a Gruta São Miguel e a Gruta São Mateus. Sendo que a do Lago Azul e a de São Miguel são próximas uma da outra e podem ser visitadas em sequência.

A Gruta do Lago Azul é a única alagada, e a atividade é contemplativa. A inspiração para o nome vem do espelho de águas cristalinas, no interior da caverna, formado por um lençol freático que alimenta o lago.

Em seguida, indica-se o passeio à Gruta São Miguel. A atividade começa no receptivo com uma caminhada em passarela suspensa. O trajeto é feito com guias que apresentam detalhes do processo de formação da caverna.

A dica para completar o roteiro do dia é incluir arvorismo no Sítio Ybirá Pe. Localizado a 8 km da Praça da Liberdade em Bonito, o atrativo deu início ao primeiro circuito de arvorismo do Mato Grosso do Sul. O passeio ocorre próximo às margens do Rio Formoso e o visitante se desloca entre as copas das árvores por meio de travessias em cabo de aço, bambu, madeira e corda.

3º dia em Bonito: araras e boia cross

Foto: Hudson Garcia/Sectur Bonito (MS)

O terceiro dia em Bonito pode ser roteirizado com passeios que agregam trilhas, contemplação e diversão. A dica é fazer uma visita ao Buraco das Araras, uma formação rochosa gerada a partir do desmoronamento de uma caverna.

O passeio conta com uma trilha de aproximadamente 1 km. Alguns animais são abrigados no interior do buraco como as araras-vermelhas, que dão nome ao local.

O segundo passeio do dia pode ser o Boia Cross Cabanas, realizado com boias individuais que descem pelas corredeiras e cachoeiras do Rio Formoso. Essa atração tem início com uma trilha de 300 metros em passarelas suspensas até o local onde começa a descida pelas corredeiras. O trajeto conta com acompanhamento de condutores.

4º dia: diversão nas cachoeiras ou balneários

Foto: Reprodução/Instagram @parquedascachoeiras

O quarto dia pode ser inteiramente aproveitado no Parque das Cachoeiras. Isso porque a atração conta com diversas opções de lazer. Serão necessárias várias horas para desbravar tudo e conhecer as sete quedas d’água incluídas no percurso.

Uma alternativa de passeio único, que também garante diversão por horas a fio, é conhecer algum balneário como o Municipal ou o do Sol. É possível desfrutar de águas cristalinas e estruturas de receptivos com restaurante e banheiros, por exemplo.

5º dia: aventura e adrenalina

Foto: @memoriaseviagens Reprodução/Instagram @lagoamisteriosa

Apostar no turismo de adrenalina é sempre uma opção para aqueles que gostam de aventura. Por isso, vale dedicar um dia para os passeios radicais. O Abismo Anhumas, por exemplo, conta com duas opções de atividades: rapel e flutuação ou rapel e mergulho. Para mergulhar nesse atrativo, é preciso apresentar credencial específica. Já a flutuação é liberada para qualquer visitante.

Outra opção é a Lagoa Misteriosa, o principal ponto de mergulho de água doce do Brasil e a única dolina aberta à visitação em Bonito. A profundidade da lagoa, desconhecida até mesmo por pesquisadores e mergulhadores, é o que dá nome ao lugar. O passeio oferece quatro tipos diferentes de mergulho: batismo, autônomo básico, autônomo avançado e avançado nitrox.

Vale ressaltar que todos os atrativos radicais da cidade contam com o Sistema de Gestão de Segurança (SGS) da Associação Brasileira das Empresas de Ecoturismo e Turismo de Aventura (Abeta).

6º dia: trilha na Boca da Onça

Sendo o último dia em Bonito, o turista ainda tem opções de passeios para fazer conforme o seu horário de partida da cidade.

Uma boa programação é a Meia Trilha Adventure Buraco do Macaco, alternativa ao percurso Adventure tradicional realizado no complexo turístico da Boca da Onça. Essa é a trilha mais curta de todas e percorre 2,1 km. O trajeto é considerado leve e passa por sete cachoeiras, com três paradas para banho.

O restante do dia deve ser programado para o check out e o retorno para casa.


COMPARTILHAR

LEIA TAMBÉM